« Voltar

Tecnologia traz inovação ao Museu Histórico Nacional

 
 
13.6.2017 - 15:31  
Com técnicas de realidade aumentada e holografia, visitantes poderão visualizar imagens imersivas de 360 graus do interior de todos os veículos em exposição na Galeria das Carruagens (Foto: MHN)
 
 
A partir desta terça-feira (13), quem visitar o Museu Histórico Nacional (MHN), no Rio de Janeiro, terá um atrativo tecnológico em meio às carruagens históricas reunidas em uma das galerias da instituição. Pela união de técnicas de realidade aumentada e holografia, visitantes poderão visualizar elementos virtuais tridimensionais sobre os painéis e cartazes, além de imagens imersivas de 360 graus do interior de todos os veículos em exposição no espaço. O usuário poderá examinar detalhes do interior das carruagens ao direcionar a câmera de smartphones ou tablets a partir do aplicativo gratuito MHN-GuideIn, disponível para dispositivos das plataformas Android e IOS.
 
O projeto inclui também a modernização de todas as placas e painéis informativos da Galeria das Carruagens, preparando-os para a inovação. A iniciativa é uma parceria entre o Museu Histórico Nacional, os pesquisadores do Laboratório Lamce, instalado no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a startup Engset, ex-residente da Incubadora de Empresas da Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da UFRJ.
 
O Museu Histórico Nacional
 
Administrado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), instituição vinculada ao Ministério da Cultura, o Museu Histórico Nacional (MHN) ocupa todo o complexo arquitetônico da Ponta do Calabouço e reúne um acervo com mais de 250 mil itens, entre objetos, documentos e livros, sendo uma instituição de produção e difusão de conhecimento. 
 
O MHN mantém, em 9 mil m² de área aberta ao público, galerias de exposições de longa duração e temporárias, além da biblioteca especializada em História do Brasil, História da Arte, Museologia e Moda, e do Arquivo Histórico, com importantes documentos manuscritos, aquarelas, ilustrações e fotografias, entre as quais exemplares de Juan Gutierrez, Augusto Malta e Marc Ferrez. Mantém, ainda, programas voltados para estudantes, professores, idosos e comunidades carentes. As áreas de Reserva Técnica, Laboratório de Conservação e Restauração Numismática (coleção de moedas e outros valores impressos) podem ser consultadas mediante agendamento prévio.
 
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
Com informações do Ibram